27: Um Amigo me Contou

Não satisfeitos com termos comentado o escândalo do Ashley Madison em nosso episódio #24, essa semana resolvemos dar o passo seguinte e falar sobre prostituição, partindo do recente ataque do governo dos EUA a um site especializado em NY. Prostituição deve ser crime ou não? Se descriminalizada, deve ser regulamentada? Qual a melhor maneira de lutar contra seus aspectos mais nefastos como tráfico de pessoas? Todas perguntas importantes, ao tratar da tal da profissão mais antiga do mundo.

Depois de quase meia hora dedicada a esse assunto mais complicado, fizemos dois comentários mais rápidos sobre questões recentes e interessantes: primeiro, a intenção do governo através da Ancine de estabelecer uma "cota de tela" para serviços de streaming audiovisual como Netflix; e depois, a proposta de alguns deputados federais para um projeto de lei que puniria de forma exemplar aqueles que usam sites e redes sociais para falar mal de políticos. 

No encerramento, ainda compartilhamos a sugestão do Pedro Antunes, do canal Minutos Psíquicos, de criarmos um grupo no Facebook ou em outro serviço para nosso patronos. Quem se interessar e/ou tiver outras sugestões, por favor, não se acanhe de usar os comentários.

Prostituição (0:31 até 26:55)

  • Diretor de site de prostituição masculina e 6 funcionários são presos nos EUA (UOL Notícias)
  • 6 Thoughts on the Rentboy.com bust from 1 angry, gay libertarian (Reason)
  • 20 Centavos #14, em que falamos sobre o Silk Road
  • Department of Homeland Security helps NYP raid and shut down Rentboy.com (Dan Savage)
  • Rentboy, the gay escort website raided by the feds, explained (Vox.com)
  • Anistia Internacional decide defender descriminalização da prostituição (BBC)
  • A lei sueca que criminaliza os clientes: um experimento de engenharia social que falhou (paper de Ann Jordan - PDF)
  • Mulheres da CUT são contra regulamentação da prostituição (Carta Capital)
  • Sob Cunha, Câmara vai discutir regulamentação da prostituição (Folha de S. Paulo)
  • Lei n° 11.106/2005, que altera os artigos do Código Penal sobre lenocínio e tráfico de pessoas

Cotas de tela em serviços de streaming (26:59 até 38:43)

  • Ancine vai criar regulamento para serviços como Netflix (Folha)
  • Ancine quer regular serviços como Netflix (Extra)
  • Ministério do Vento, por Leandro Narloch (Folha)
  • Netflix pode ser obrigada pela Ancine a ter cota de filmes brasileiros (Tecnoblog)
  • Publicado decreto que estabelece a Cota de Tela para 2015 (Ancine)
  • Anna Muylaert: 'Quando seu filme vale dinheiro, você chega na zona masculina' (Brasil Post)
  • Relatório consolidado com valores da renúcia fiscal relacionada à Lei Rouanet, em 2014 (Ministério da Cultura)

Proibição de deboche contra políticos na internet (38:46 até 49:05)

  • Câmara quer punir quem fala mal de políticos na internet (Congresso em Foco)
  • Deputados querem mudar Marco Civil para punir quem fala mal de políticos na Web (Gizmodo)
  • Agência contratada pelo PT paga R$ 20 mil de salário a criador de Dilma Bolada (Época)
  • PF aponta 60 fakes e 35 comunidades que atacavam políticos em MS (G1)
  • Resolução n° 23.404 do TSE, "sobre propaganda eleitoral e condutas ilícitas em campanha eleitoral nas Eleições de 2014". 

22: Eu Queria ser uma Mosquinha

Em semana de muitos – e interessantes – comentários, hoje temos um episódio com um só assunto: o impacto dessas pequenas máquinas voadoras chamadas de drones em uma série de conceitos legais e nos nossos costumes. Como fica o direito à privacidade? À propriedade? Como a notícia que inicia nossa conversa, é aceitável dar tiro em drones que entrem na sua propriedade?

Follow-up de comentários (0:32 até 22:13)

Drones (22:18 até 52:09)

20: Desconto Hiperbólico

Sabe onde vende o Playstation 4 mais caro do mundo? E o iPhone 6 mais caro do mundo? Sim, no Brasil, onde continuarão sendo os mais caros do mundo - entre outros tantos eletrônicos com menos espaço na mídia -, já que o país decidiu não se juntar a 80 outros signatários em um acordo da OMC para cortar impostos de importação sobre esse tipo de produtos. Possível má notícia para o país, mas boa notícia para a pauta desse podcast, onde virou o primeiro assunto da semana.

Seguindo a temática "Estado atrapalhando nossa vida em nome de um bem maior" e já dando uma prévia de assunto da próxima semana, na segunda parte comparamos propostas de taxação sobre refrigerantes e sobre combustíveis, e o que existe por trás desse tipo de legislação: o viés cognitivo conhecido como "desconto hiperbólico". 

Por essa semana é só, um episódio um pouco mais curto que o de costume, mas com os mesmos vários links de sempre. 

Comentários (0:31 até 8:54)

Acordo de livre comércio de eletrônicos (9:00 até 27:49)

  • Acordo elimina tarifas para eletrônicos em 80 países, mas Brasil resolve ficar fora (Infomoney)
  • Brasil "faz a egípcia" para acordo global de isenção tributária de eletrônicos (Época)
  • Fréderic Bastiat (Wikipedia)
    • Livro "O que se vê e o que não se vê” (francês, inglês e espanhol)
    • Livro com resumo de vários textos em português, editado pelo Instituto Mises Brasil (download gratuito ou comprar em papel)
  • David Ricardo, que explica as vantagem da especialização do trabalho
  • Uruguai vira polo de serviços para a região (Valor Econômico, via NTC & Logística)
  • Acordo sobre comércio mundial é a 1ª vitória do brasileiro à frente da OMC (G1, em 2013)

Limites do Estado Babá (27:51 até 44:24)

  • O imposto do refrigerantes mexicano está funcionando. Os Estados Unidos deveriam aprender com isso. (Wired, em inglês)
  • O Estado Babá, livro de David Harsanyi (em português, sob encomenda: Cultura, Travessa; em inglês: Amazon)
  • Desconto hiperbólico (Wikipédia)
  • Limites para consumo de combustível podem salvar o clima? (Economist, em inglês)
  • "Para combater as mudanças climáticas" (Jeffrey Sachs, no Ciência em Pauta)